EUA elevam compra de carne bovina processada brasileira em junho e tendência é de alta

As exportações brasileiras de carne bovina para os Estados Unidos subiram 34% em junho, na comparação com maio, e a tendência é que continuem aumentando na média anual enquanto o Brasil recupera volumes perdidos desde 2010, disse o diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Fernando Sampaio, à CarneTec.

O Brasil ainda não pode exportar carne bovina in natura para os EUA, mas o país é um dos principais compradores de carne industrializada e outros subprodutos da carne bovina brasileira.

“Pontualmente, pode haver um mês ou outro em que o volume caia, dependendo dos contratos que são feitos. Mas a tendência geral é de alta para retomar o volume perdido no passado”, disse Sampaio sobre as carnes industrializadas, na semana passada.



Em junho, o Brasil vendeu 3,6 mil toneladas de carne bovina para os norte-americanos, atingindo faturamento de US$ 27,6 milhões. Com essas compras, os EUA entraram no ranking dos dez maiores importadores de carne bovina brasileira, ficando na sexta posição no resultado contabilizado em dólar.

No acumulado do ano, as vendas de carne bovina para os EUA somam 15,6 mil toneladas, com faturamento de US$ 130 milhões. Esses dados consideram carne industrializada e envoltórios naturais, como tripas para fabricação de salsichas e embutidos, além de pet toys (produtos para animais de estimação) à base de subprodutos bovinos.

As carnes industrializadas, principalmente corned beef enlatado, são o principal tipo de produto exportado para os EUA, fornecido por frigoríficos como JBS, Marfrig, Oderich, entre outros.

Os EUA suspenderam as compras de carne industrializada brasileira entre abril e dezembro de 2010, após ter sido identificado excesso do vermífugo ivermectina em algumas amostras. O limite da substância foi posteriormente revisado para cima e, desde 2012, os volumes de carne industrializada vendidos para os EUA têm aumentado a cada ano.

Antes da interrupção dessas exportações, a indústria brasileira chegou a vender um pico de 62,7 mil toneladas do produto em 2007, segundo dados da Abiec.

As exportações de carne bovina podem aumentar ainda mais no futuro, com a esperada abertura de mercado para o produto in natura neste ano.



Técnicos sanitários norte-americanos já visitaram frigoríficos brasileiros no fim do ano passado. No início de julho, uma missão de fiscais agropecuários do Brasil esteve nos EUA e pretende fechar o relatório sobre a inspeção sanitária dos frigoríficos norte-americanos antes do dia 28, quando o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, tem viagem marcada para Washington.

A expectativa da indústria brasileira é de que o acordo definitivo de abertura de mercado possa ser assinado durante a viagem do ministro, com o início efetivo dos embarques ainda neste ano.

Deixe uma resposta

*